Amin é prato requentado, diz Mauro Mariani

Depois de mobilizar mais de cinco mil pessoas em quatro encontros macrorregionais, o MDB de Santa Catarina caminha para sua convenção, marcada para o dia 4 de agosto, com uma unidade histórica.


Pré-candidato ao governo pelo MDB, o deputado Mauro Mariani, cujo nome será homologado no próximo sábado, destacou que o MDB catarinense nunca esteve tão focado em dar uma nova guinada na gestão pública do Estado, como um dia fez o ex-governador Luiz Henrique da Silveira. “Nossa aliança não é contra ninguém, mas a favor de Santa Catarina. E está atrelada a um governo de enfrentamento, de enxugamento da máquina e entrega de resultados”, frisou Mariani, durante discurso em Itajaí.

Atualmente, o MDB está fechado com o PR, do deputado Jorginho Mello, mapeado para ocupar umas das vagas ao senado, PPS, da deputada Carmen Zanotto, que pode emplacar como vice, bem como com outros partidos menores, como PTB, PTC, Avante e PSDC.

Ele também comentou a homologação da candidatura de Esperidião Amin ao governo. “É o relançamento do Monza 82, que já não funciona hoje. É um prato requentado. Nosso Estado precisa de novas fórmulas para enfrentar velhos problemas”.

O senador Dário Berger também disparou contra o Amin e disse que Mariani tem o perfil ideal para o momento que vive o Estado. “O MDB é especialista em vencer essa família. E o Mauro irá vencer também, pois é o nome mais preparado. É moderno, arrojado e tem coragem para enfrentar os novos desafios da gestão pública”, frisou ele.