Cenário de recuperação da economia catarinense aponta a força de setores como comércio, construção e exportações

Com pequena extensão territorial, grandes portos, colonização europeia e uma indústria pujante, Santa Catarina é o Estado com o maior índice de recuperação da economia. Diferentes setores como o comércio, as exportações e o setor construtivo puxam o carro econômico e garantem o melhor posicionamento diante de toda a Federação. Do registro de aumento no número de vagas à redução do ICMS para o setor intermediário que garante mais circulação de mercadoria internamente diferentes, argumentos pontuam este cenário.


Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo apontam que Santa Catarina foi o único Estado brasileiro em que o número de abertura de estabelecimentos comerciais superou o de fechamento em 2017. Foram 207 lojas com vínculos empregatícios abertas no ano passado. Apesar de tímida, a recuperação é positiva, já que o resultado veio depois de dois anos de queda. No cenário geral de vagas, o Estado novamente aparece com destaque. Santa Catarina também teve duas cidades na lista das que mais abriram vagas de emprego em 2017, com Joinville à frente de todas as outras do Brasil.

E a previsão é de melhorias. Uma Medida Provisória prevê a diminuição de 17% para 12% o ICMS sobre mercadorias e serviços que circulem dentro do Estado, ainda na cadeia produtiva. Na prática, a redução da alíquota torna Santa Catarina ainda mais atrativa para circulação de mercadorias e serviços no quesito vendas internas para setores intermediários, não para o consumidor final.

As exportações também contribuíram para a recuperação, com o agronegócio superando todas as outras operações. Para o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina, Glauco José Côrte, o otimismo tem que ser mantido. "O espaço que nós conquistamos em anos anteriores tende a ser preservado e ampliado. A indústria precisa exportar para se manter competitiva tanto lá fora quanto aqui dentro", declara.

No setor da construção civil, Santa Catarina tem hoje a sétima maior construtora do país. A FG Empreendimentos recebeu novamente a premiação do Ranking ITC, índice que adota metodologia altamente respeitada no mercado. “Para nós, esta premiação confirma a solidez e robustez da empresa, que apostou na tendência de melhora econômica e em estratégias junto aos parceiros para driblar desafios que resultam numa expectativa de crescimento de 40% nas vendas para os próximos meses. E figurar neste respeitado ranking do setor da construção civil é um reconhecimento importante que faz parte da nossa trajetória de sucesso, um caminho constantemente moldado para fortalecer e consolidar a nossa marca junto aos clientes, fornecedores e mercado em geral”, pondera o diretor comercial da FG Empreendimentos, Altevir Baron.

O mercado da construção se reinventa e cresce a cada dia, driblando a instabilidade econômica do país. “A FG Empreendimentos está há 15 anos no mercado com foco em Balneário Camboriú e já entregou 42 empreendimentos. Com R$ 1,2 bilhão de ofertas ao mercado, a FG possui nove obras em andamento, equivalentes a 715 unidades que são entregues aos clientes nos próximos anos”, ressalta o diretor de obras da FG, André Bigarella. Ao todo são mais de 230 mil metros quadrados em construção, superando o valor de R$ 2 bilhões em VGV.