Operação resulta em busca e apreensão no Jardim Fortaleza

Ao amanhecer desta quinta-feira (26), a Polícia Civil, com o apoio da Guarda Municipal de Balneário Camboriú e Polícia Militar, realizou uma operação no Bairro São Judas Tadeu para cumprir oito mandados de busca e apreensão em residências e um mandado de busca e apreensão em Blumenau. A operação busca identificar e colher provas a respeito da possível prática de loteamento irregular de terrenos de invasão no Jardim Fortaleza. Também há suspeitas sobre formação de quadrilha.


O delegado da Polícia Civil responsável pela operação, Kleverson William Parmezan, explica que alguns documentos ilegais foram apreendidos na operação. “Possuímos diversos documentos adicionados ao inquérito, principalmente aqueles trazidos pelas vítimas. A ideia era apreender celulares para serem entregues à perícia, a qual irá avaliar conversas que possam ajudar a comprovar os crimes. Também há suspeitas sobre formação de uma milícia de cobrança de taxas e ligações irregulares de energia’’, explicou o delegado.

As forças de segurança foram divididas em sete equipes formadas por policiais civis e guardas municipais, buscando tratar a região com o mínimo de cunho criminal possível, segundo o delegado regional da Polícia Civil, David Tarciso Queiroz de Souza. “Sabemos que muitas pessoas que moram ali não são criminosas e não queremos criar nenhum estigma. Nosso objetivo é cumprir os mandados com as ordens judiciais para entrar nas casas e tentar reunir provas”, explicou David.

A investigação teve início em 2017, buscando documentos que comprovassem as vendas ilegais de terrenos naquela região. A questão vem sendo discutida há mais de quatro anos. Durante esse período, também foram discutidos crimes de porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas, estelionato e formação de quadrilha. Segundo as informações obtidas pelas investigações, um dos líderes responsáveis pelo caso está em Blumenau, motivo pelo qual um dos mandados de busca e apreensão foi direcionado para lá. Devido a uma das casas já ter sido desmanchada, sete dos oito mandados foram cumpridos.




A Guarda Municipal de Balneário Camboriú prestou apoio com 30 guardas e viaturas. “Enquanto a Polícia Civil realizava o cumprimento dos mandados, nós mantivemos a segurança do perímetro e das pessoas no local. Nossa integração precisa ser constante entre todas as forças de segurança. Não devemos pensar em instituições, mas sim na segurança de Balneário Camboriú”, explica o comandante da Guarda Municipal, Antônio Afonso Coutinho Neto.

O delegado Parmezan afirma que a operação foi um sucesso. “Graças ao apoio de todos, conseguimos realizar a operação de forma pacífica e da maneira planejada. Essa investigação começou conjunta entre a Polícia Civil, Guarda Municipal e Polícia Militar e era merecido que todas estivessem presentes nessa finalização. Tomara que aconteçam outras operações envolvendo essas instituições. Acho que esse é o caminho e quem ganha é a comunidade”, finaliza o delegado.