Prefeito Elcio oferece benefício inédito, mas servidores não se contentam

Merendeiras, cozinheiras, auxiliares de cozinha e serventes de Camboriú fizeram um protesto no final da tarde desta sexta-feira, dia 24, em frente à Prefeitura de Camboriú. O ato foi organizado pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Camboriú, para reivindicar um aumento no vale alimentação de R$150 para R$200. 

Caso o prefeito não aceite o aumento, os servidores querem trabalhar 6 horas diárias.

O benefício é inédito e criado pelo prefeito Élcio Kuhnen (MDB) para favorecer os servidores públicos que recebem um salário baixo, inferior a R$1.250 no salário bruto. A Prefeitura de Camboriú afirma que neste momento, em função da baixa arrecadação, não pode prometer um valor maior que o oferecido e comprometer o orçamento. 

O benefício ainda está sendo analisado pela Câmara de Vereadores e deve ser votados nos próximos dias. Caso o prefeito não aceite o aumento, os servidores querem trabalhar 6 horas diárias, apesar de terem prestado concurso público para 8 horas. 

Serão cerca de 120 servidores incluídos no benefício; incluindo merendeiras, cozinheiras, auxiliares de cozinha e alguns funcionários da Secretaria de Obras. “É importante ressaltar que o sindicato não concorda com este valor, mas reconhecemos que já é um benefício e um ganho para o servidor. Não deixaremos de lutar para a valorização de todas as categorias”, ressalta a presidente do Sisemcam, Luciana Sobota.