Secretária teria sete pessoas ligadas à família na Prefeitura de Camboriú, diz vereadora

A vereadora Jane Stefenn (REDE) denunciou na quinta-feira, dia 30, o loteamento de cargos na Prefeitura de Camboriú por parte da presidente do Instituto de Previdência de Camboriú (CamboriúPREV), Rutinéia Fonseca Quinzen. De acordo com as informações do Portal da Transparência, referentes a julho desse ano, no quadro da administração municipal, além dela, estão empregadas sete pessoas ligadas à família. 


Apenas um dos filhos, que trabalha como vigia na Secretaria da Educação, passou por concurso público. Os outros seis familiares ocupam duas vagas de estágio (sem processo seletivo) e quatro cargos em comissão. Somados os salários brutos, a família recebe mais de R$ 17 mil por mês da Prefeitura de Camboriú.

“É reprovável nomear parentes para cargos públicos porque você substitui a competência técnica pelos laços familiares. Isso prejudica Camboriú já que a administração não vai contar com os melhores profissionais para trabalhar em prol do cidadão sem contar que ficamos reféns dos interesses de quem tem a caneta e o poder na mão para assinar de acordo com seus interesses”, disse.

Na listagem de julho, apresentada pela vereadora Jane Stefenn, estão a filha de Rutinéia, que aparece no Portal da Transparência como estagiária na Academia de Saúde; o namorado da filha, em cargo comissionado como coordenador Administrativo e Financeiro do CamboriúPREV, com remuneração total de R$ 1.748,60, em julho; o sogro de um dos filhos de Rutinéia, também comissionado como diretor do Departamento de Agricultura da Prefeitura com remuneração total de R$ 3.904,69, em julho; uma das noras, como estagiária da Secretaria da Saúde; uma outra nora que ocuparia o cargo de diretora do Departamento de Apoio à Educação, com remuneração total de R$ 3.904,69, em julho; e, finalmente, uma prima como secretária de Centro de Educação Infantil, com remuneração de R$ 1.748,60, em julho.