Grupo de mulheres contra Bolsonaro tem mais de 1 milhão de membros no Facebook

Um grupo de mulheres no Facebook, criado recentemente, já reúne mais de um milhão de membros contra o candidato a Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro.

O grupo foi criado como forma de mobilização contra a candidatura do capitão, que lidera nas pesquisas eleitorais divulgadas nesta semana, com 24%, segundo o Datafolha, e 26%, de acordo com o Ibope.

Bolsonaro é o candidato mais rejeitado pelo eleitorado.

“Ele representa tudo que é de atraso na luta pelos direitos das mulheres, ele ataca diretamente a licença maternidade, a diferença salarial entre homens e mulheres”, afirmou a publicitária Ludmilla Teixeira, uma das criadoras do grupo, em entrevista a revista EXAME.

Segundo o Datafolha, divulgado na última segunda-feira (10), Bolsonaro é o candidato mais rejeitado pelo eleitorado: 43% declararam que não votariam nele de jeito nenhum, parcela que sobe para 49% entre as mulheres.

S
ua fundadora deixa claro: a iniciativa não é contra a pessoa de Jair Bolsonaro, que, disse Ludmilla, merece respeito, e sim contra sua candidatura.