Itajaí receberá quase R$ 100 milhões para saneamento básico

Uma soma de aproximadamente R$ 100 milhões, entre verbas federais e contrapartidas do município em investimentos, chegará a Itajaí para ampliação da rede coletora de esgoto até 2020. Os investimentos garantirão o aumento da capacidade de coleta de esgoto de Itajaí de 12,5% para 70% dos domicílios. O total de R$ 98.534.154,20 virá do Orçamento Geral da União (OGU), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Programa Avançar Cidades.


Os bairros São Vicente e Cordeiros receberão o maior investimento para a implantação do sistema de coleta e da construção de uma estação de tratamento de esgoto. Serão captados R$ 37,9 milhões do BNDES com previsão do término das obras para até 2025. Do Programa Avançar Cidades serão investidos R$ 31,8 milhões. Todos esses recursos garantirão a rede coletora de esgoto dos bairros Nossa Senhora das Graças, Dom Bosco, Vila Operária, São Judas e São João.

Os recursos do OGU garantidos para Itajaí serão destinados a dois conjuntos de obras. No Cidade Nova, o projeto do Parque Linear receberá R$ 14 milhões da União e R$ 4,2 milhões do Município de Itajaí, na soma de R$ 18,3 milhões para esgotamento. Já a bacia do Ribeirão da Murta receberá as intervenções no valor de R$ 10,3 milhões, sendo R$ 7,3 milhões de verba federal mais contrapartida de R$ 2,9 milhões.

Confirmação em Brasília

Os recursos se confirmaram com a articulação do Escritório PEMI em Brasília. “Realizamos estudos e constatamos que Itajaí é turfeira, tem uma terra composta por materiais de origem vegetal. Essa característica faz com que o solo perca a capacidade de reter matéria, além de facilitar a contaminação por resíduos dos lençóis freáticos. E dessa forma justificamos a necessidade de esgotamento sanitário no município”, justifica o coordenador do Planejamento Estratégico de Município de Itajaí, PEMI 2040, Alcides Volpato.

“Essas verbas federais, colocarão nossa cidade como referência na gestão dos recursos hídricos. O Município de Itajaí e o Semasa terão eficiência na captação das águas, até o tratamento e a destinação correta dos resíduos”, afirma o prefeito Volnei Morastoni. “Nossa captação de recursos também prova sua capacidade em trazer todos esses milhões para atender as demandas da população”.

Volpato ainda explica a importância de destinar esses recursos conforme o pedido dos cidadãos. “O saneamento básico em toda a cidade de Itajaí foi umas das principais solicitações dos instrumentos de consulta popular que o PEMI realizou com as Oficinas do Futuro. Trabalhamos para atingir o 100% de esgotamento sanitário em 2040”, afirma.