Improviso e inesperiência podem custar caro aos catarinenses, diz Merísio

"A gestão de um Estado como Santa Catarina, com sua economia diversificada e os melhores indicadores de qualidade de vida do país, e com grandes desafios a serem enfrentados, exige conhecimento, preparo e um time experiente. Apostar em improviso pode custar caro aos catarinenses em um futuro bem próximo."


O alerta foi feito pelo candidato do PSD ao governo de Santa Catarina, Gelson Merisio. O candidato questionou o preparo de seu adversário nesse segundo turno, cujo plano de governo protocolado no Tribunal Regional Eleitoral (TER/SC) conta com apenas cinco páginas, lançando afirmações vazias e genéricas sobre temas vitais para o Estado, como Saúde, Educação, Segurança Pública e Meio Ambiente.

No tópico Infraestrutura, Mobilidade e Meio Ambiente, por exemplo, há oito linhas. Uma delas traz a proposta de “Monitorar a qualidade do ar para promoção de políticas ambientais”.

“Improvisar nunca deu certo em lugar nenhum. Improvisar é o caminho para cometermos erros e equívocos imperdoáveis para uma economia tão justa e tão necessária para Santa Catarina”, afirmou o candidato da coligação “Aqui é Trabalho”.

Enxugar a máquina pública


Gelson Merisio reforçou seus principais objetivos à frente do Governo do Estado, como promover uma profunda reforma administrativa, enxugando a máquina pública para levar mais serviços à população. Além disso, investir pesado em segurança pública, com a contratação de mais cinco mil policiais militares e o investimento de R$ 2 bilhões em tecnologia nos três primeiros anos de gestão.

Merisio destacou que Turismo, Saúde, Educação e Desenvolvimento Econômico dependem, sobretudo, de uma Segurança Pública de qualidade. Para evitarmos que Santa Catarina enfrente a realidade vivenciada atualmente pelo Rio Grande do Sul e pelo Rio de Janeiro é preciso um enfrentamento imediato e enérgico, defendeu.